Eric Reuss

3 perguntas para Eric Reuss, criador do Spirit Island

Jogo de tabuleiro Spirit Island

Essa semana quem dá o ar da graça por aqui é o grande Eric Reuss, criador do sucesso Spirit Island, lançado no Brasil pelo ACE Studios.

Confira suas respostas!

Por que jogar?

É divertido, e nós aprendemos coisas!

Humanos nascem naturalmente com um instinto para jogar.

É parte de como nós interagimos e exploramos o mundo. Mesmo na infância isso pode assumir várias formas, desde o simples desafio “Eu posso pular nessa pedra, você pode?” até elaborar conjuntos de regras que podem ir mudando à medida que o jogo é jogado.

Algumas pessoas parecem pensar que somente porque crianças fazem algo que isso é criancice e que adultos não deveriam buscar isso, o que me parece algo bem tolo, afinal crianças comem, respiram, dormem, fazem amigos, exploram o mundo e descobrem coisas novas, e eu gosto de fazer todas essas coisas também.

Estudos tem demonstrado que virtualmente qualquer educador pode dizer da sua experiência pessoal: Pessoas aprendem melhor através do jogar, embora fazer um jogo que é divertido e que ensina o que você deseja ensinar não é.

Em resumo: É divertido e podemos aprender coisas!

(Ok, existem mais razões do que isso. Isso também é uma maneira de conectar com as pessoas, para desafiar-se a si mesmo, para ter uma desculpa para se reunir e ver os amigos, e mais. Mas esses argumentos poderiam ser chamados de “divertidos” ou “aprender coisas?”).

Por que criar jogos?

Eu tenho criado jogos de uma maneira ou de outra desde que eu era criança, eu realmente nunca parei da maneira que muitas pessoas param.

Parte disso é que eu amo jogos, parte vem da fascinação de ver como as regras fazem as coisas acontecerem, e tentar esculpir essas regras de tal maneira que o que está acontecendo é divertido para os jogadores assim como imaginei que seria na minha mente – é algo similar pelo prazer que tenho em programar computadores.

Regras em uma página ou linhas de código de programação são estáticos, mas o restante, as pessoas jogando ou um computador fazendo algo é dinâmico e uma coisa se tornar a outra para mim é algo meio mágico.

Um jogo(s) especial para você e porquê

Existem tantos! Pensando nas respostas possíveis eu percebi que a vasta maioria dos jogos com um significado especial para mim estão ligados com as pessoas que eu associo à eles.

Talvez eu conheça o designer ou tenha ajudado-o com os testes (como o Argent: the Consortium), talvez eu aprendi com alguém que eu amo (Xadrez com meu pai) ou ainda com as pessoas que eu joguei (Bridge com os amigos na escola, Twister e Roborally com os colegas pós faculdade) ou por quem o recomendou para mim (The Great Zimbabwe, pelo grupo GCL Phoenix no BGG).

Magic The Gathering

A maior exceção à essa regra provavelmente é o Magic: The Gathering, enquanto eu tenho ternas memórias de joga-lo com amigos na escola, ele se destaca para mim ainda mais porque ele tem aquilo e eu sempre quis, e em certo nível esperava: Cartas colecionáveis para serem trocadas.

Eu sempre me desapontei porquê não havia um jogo para ser jogado com as cartas de baseball, e me parecia algo bobo ter cartas sobre um jogo mas não poder jogar um jogo com essas cartas.

E o Magic “quebrou essa regra” para mim e trouxe me grande prazer, especialmente pelo envolvimento na criação dos decks.

E ai gostou das respostas? Quem você quer ver por aqui respondendo essas 3 perguntas?

Toda semana tem resenhas, artigos e dicas sobre jogos de tabuleiro lá no meu Instagram

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s